HISTORIAL


A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Espinho orgulha-se do seu progresso, da sua história e dos seus 112 anos de existência.

Criada em 18 de Outubro de 1895 como secção da Real Associação dos Bombeiros Voluntários do Porto, veio a constituir-se autonomamente em 20 de Setembro de 1900. Foi seu primeiro Comandante, José Vitorino Damásio. O Regulamento da Companhia de Bombeiros foi aprovado em Assembleia-geral nos dias 2 e 22 de Janeiro de 1905. A Assembleia em 30 de Janeiro de 1907 criou a Caixa Previdente da A.H. Bombeiros Voluntários de Espinho.

Em 28 de Julho de 1913 os Bombeiros Voluntários de Espinho criaram uma Banda de Música, com instrumentos e partituras oferecidos pela fábrica Brandão Gomes & Ca.

Os estatutos de 1900 foram reformados em 18 de Junho de 1932, altura em que os Bombeiros Voluntários de Espinho já tinham voto de louvor do Governo da República (17 de Março de 1925), Instituição de Utilidade Pública (21 de Março de 1928), Comendador da Ordem Militar de Cristo (27 de Outubro de 1930) e as Insígnias da Ordem de Cristo na sua Bandeira em 24 de Junho do ano seguinte. Em 1962 foi inaugurada a primeira fanfarra. O equipamento dos Bombeiros Voluntários de Espinho começou por ser uma picota.

Em 1924 realizaram uma experiência com a moto-bomba "Dalahaye", que no ano seguinte foi colocada num automóvel "Charron 22 MP" adaptado a pronto-socorro. O desempenho desta Corporação de Bombeiros tem sido caracterizado pelo altruísmo e voluntariado dos seus soldados da paz.


A GÉNESE DOS BOMBEIROS DE ESPINHO

Em 1995 quando o País comemorava os 600 anos dos Bombeiros em Portugal, a Associação Humanitária Bombeiros Voluntários de Espinho tinha a felicidade de comemorar o seu Centenário.

Os Bombeiros estão muito ligados ao exemplo do Comandante Guilherme Gomes Fernandes que liderou os Bombeiros Voluntários do Porto. E foi desta Associação que nasceram em Espinho os Bombeiros. Foi por iniciativa do Engenheiro Vitorino Damásio na altura bombeiro na Real Associação dos Bombeiros Voluntários do Porto. Este engenheiro criou em Espinho uma secção dos Bombeiros do Porto com material cedido por essa Associação. A situação manteve-se até 1897 quando a situação financeira dos Bombeiros do Porto ameaçava de extinção a secção que criara em Espinho. Perante o facto de poderem deixar de ter bombeiros, os Espinhenses mobilizaram-se no sentido de comprar o material da secção aos Voluntários do Porto. A escritura da compra foi feita em 26 de Julho de 1897 por 900 000 reis e registada como propriedade de António Salvador Júnior. Durante três anos os bombeiros de Espinho foram propriedade deste cidadão Espinhense, até se formar a Associação Humanitária Bombeiros Voluntários de Espinho cuja Direcção toma posse em 21 de Setembro de 1900.

Daí para cá a história havia de registar a organização da secção de Esmoriz que viria a ganhar a sua própria autonomia, e ainda o conflito que originaria a Associação Humanitária dos Bombeiros Espinhenses.


O CENTENÁRIO

A 12 de Janeiro de 1995, do ano do centenário dos BVE Luís Torres anunciava em conferência de Imprensa a abertura das comemorações do centenário com uma sessão solene a 28 do mesmo mês. Com tomada de posse e imposição de galões ao 2º comandante Moisés Ferreira do Couto e ao Ajudante de Comando Alexandre Gonçalves de Oliveira. Nessa sessão o Major Fernando Oliveira Gonçalves proferiu uma palestra subordinada ao tema: “Organização dos Serviços Municipais de Protecção Civil”. Foram declamados versos por dois elementos da cooperativa nascente.

Nesse ano do Centenário foram várias as associações locais que se associaram à passagem da significativa data. Foram iniciativas diversas e entre outras a 26 de Junho realizou-se um espectáculo de bailado no Cinema S. Pedro, pela escola de bailado Giselle e dirigido por Conchita Ramirez. O CINANIMA incluiu uma retrospectiva de bombeiros com 4 filmes: “Fire Schief” de Walt Disney, “Feu Pas pour les Hommes” e “The old Lady’s Camping Trip”, ambos canadianos, e “Charlot Bombeiro” de Charlie Chaplin com data de 1916.

No ano do centenário, no fim-de-semana de 19/20 de Outubro foi lançada a 1ª pedra do monumento aos bombeiros que passaram a ter um talhão com uma peça escultórica da Autoria dos Arquitectos Agostinho Sousa e Veiga de Macedo.


110 ANOS DE BOMBEIROS EM ESPINHO

Nos últimos de 10 anos, período que vai do centenário a estes 110 anos que agora comemoramos os investimentos da Associação foi feito essencialmente em viaturas. O ano do Centenário possibilitou aquisição de uma auto-escada recebida a 16 de Fevereiro e que constituiu um investimento de 10 000 contos. Foi ainda adquirida uma ambulância, e no dia 6 de Junho foi entregue pelo Ministério da Administração Interna um Pronto-Socorro Urbano.

Mais 2 ambulâncias dariam entrada a 20 Outubro de 1996 aquando do 101 aniversário. No 102º aniversário foi incorporada a viatura de Auto-Comando. Em 1998 foi incorporado mais um veículo de marca Land Rover, um bote pneumático com motor de 15 CV e uma mota de água.

Foi integrada a Auto-Grua, que eleva 70 toneladas, atinge 42 metros mais a extensão de 18 m. Todas as rodas são direccionais e a tracção é 8x8. (Esta viatura teve papel relevante na operação de retirada do autocarro de passageiros que caiu ao Rio Douro na sequência do colapso da Ponte em Entre-os-Rios). Foi adquirido um veículo para socorro nas praias, equipado com prancha de salvamento e bóias tipo torpedo. Ainda uma viatura de intervenção rápida todo o terreno com cabina dupla preparada para desencarceramento em acidentes de viação. Entrou ao serviço um segundo auto-tanque com capacidade para 17 000 litros de água. Mais recentemente, já nesta época estival foi adquirida uma embarcação semi-rígida com motor de 30 CV.

FAÇA-SE SÓCIO

QUERES SER BOMBEIRO?

MEIOS OPERACIONAIS

GALERIA FOTOS

ÁREA RESERVADA

Área reservada a Associados e Bombeiros da A.H.B.V de Espinho

PARTILHA

WEBMAIL

Para aceder a sua conta de e-mail usando a plataforma webmail. ACEDER AO WEBMAIL